Intensidade

November 7, 2008 at 11:18 am Leave a comment

É fácil perceber que as pessoas no geral valorizam e buscam emoções de conotação positiva, aquelas que chamam de boas. Felicidade, alegria, conforto, contentamento, prazer são alguns dos objetivos da maioria das pessoas, mesmo aquelas que parecem valorizar o outro lado no fundo conseguem essas emoções através de processos diferentes das demais. O estereótipo gótico por exemplo, que exalta a morte, a depressão, a tristeza no fundo busca aquelas mesmas coisas (felicidade, alegria, contentamento) por meios que contrastam com o da maioria das pessoas. Difícil questionar o fato de estar feliz ser uma coisa positiva, mas e uma vida 100% feliz, feliz em cada segundo, só com vitórias, alegrias, prazeres, coisas gostosas, em que tudo funciona corretamente, será que uma vida assim é tão desejável? Será que a dor, a frustração, o fracasso, a agonia, o desconforto, a tristeza, aquelas emoções que chamam de ruins são de todo, ruins?

Creio que vejo essa questão de uma maneira diferente, dentre emoções positivas ou emoções negativas eu escolho emoções intensas. Dizem que é o fel que adoça o mel, que sem o sofrimento, o prazer é sempre menor, que o gosto doce das vitórias só é sentido por completo em uma boca que sentiu o amargo da derrota, concordo mas vou além. Creio que as emoções negativas intensas são importantes substantivamente, por si, e não apenas instrumentalmente, como meios para potencializar as boas. Busco uma vida que seja notável, interessante, emocionante, busco conhecer os dois lados da moeda, as áreas um pouco mais escuras da vida, das pessoas, aquilo que elas tem de melhor e pior, que faz delas humanas. As pessoas, na minha opinião, ficam lindas quando choram e quando sorriem. Mais lindas quando sorriem, é verdade, mas também há uma certa beleza intensa, diferente, nas lágrimas que escorrem pelo rosto. O momento das lágrimas costuma ser um dos maior contato introspectivo que temos. Ao derramá-las ficamos mais perto de nós mesmos, nos conhecemos um pouco melhor e aprendemos a nos aceitar também. Ao oferecermos ao outro nossas lágrimas, nosso sofrimento, ao dizermos que dele queremos todas as coisas, não importa que emoções nos cause, estamos querendo o outro incondicionalmente, sendo amigos, colegas, parentes, namorados incondicionalmente. Quero uma vida intensa, uma história de tirar o fôlego, quero que você faça parte dela, em todos os momentos, não temo chorar, não temo sorrir. Só assim que ficamos verdadeiramente juntos, se não temermos o nosso sofrimento, juntos eu e você, se eu não tiver medo das minhas próprias emoções, juntos eu e eu mesmo.

Advertisements

Entry filed under: Uncategorized.

Choice – part one Ócio merecido

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Recent Posts

Feeds

November 2008
S M T W T F S
« Sep   Jan »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

%d bloggers like this: